Segunda-feira, 30 de Março de 2009

POBRE SEM TÚMULO

“Formariz – um pouco de história” e “Vida e morte de uma pobrezinha – a sua triste odisseia” são títulos de um artigo fascinante do “Notícias de Coura” de 15 de Novembro de 1957, assinados pelo ilustre formaricense Alfredo Marinho.

Conta o autor que, no lugar da Maceira, terá morado uma senhora, Maria Alberta, que nada tinha de seu e era conhecida por “Hispaina”. Entregando-se à mendicidade, a sua morada era uma caverna aberta sob uma barreira, sendo o óculo de entrada tapado com trapos e tábuas velhas. Depois de muitos sofrimentos e padecimentos, a que ninguém acudiu, a 7 de Maio de 1817, Maria Alberta foi encontrada sem vida no interior da caverna. Terá vivido 76 anos, uma longa existência tendo em conta a sua dura vida de miséria. Tal como tantos pobres e mendigos daquela altura, o corpo da “Hispaina” foi transportado no esquife paroquial até à sepultura do adro da igreja, onde antes de ser coberta pela terra foi amortalhada num lençol.
Alfredo Marinho conta-nos que dois formaricenses, de seus nomes, Bacelar e Germano (residentes nos lugares de Estrada e Outeiro, respectivamente), cheios de “piedade e caridade” resolveram colocar sobre a sua sepultura uma pedra tumular, com a seguinte inscrição: “Nasci, vivi e morri pobre/ Para mim não houve felicidade/ Até a lousa que me cobre/ Foi dada por caridade”. Anos depois, quando se reformou o adro e a igreja paroquial (1893?), bem como a torre sineira, a pedra tumular da sepultura de Maria Alberta foi servir de soleira na porta principal do templo. Com o decorrer dos anos, desapareceu a inscrição que tinha sido na lavrada na pedra.
Artigo publicado no Jornal Notícias de Coura, n.º 138, de 24 de Março de 2009
Publicado por Eduardo Daniel Cerqueira às 16:27
Ligação do artigo | Comente | Adicionar aos favoritos
partilhar
2 comentários:
De Jofre Monteiro Alves a 30 de Março de 2009 às 21:00
Mais um pedaço da nossa história arrancada ao esquecimento, desta feita para lembrar o humanismo de dois courenses – um deles era meu antepassado – condoídos com a miséria alheia. Dou-lhe os parabéns por este labor persistente e consistente.
De Luís Alves de Fraga a 4 de Abril de 2009 às 10:16
Estória interessante de ser recontada e recordada, porque hoje em dia, num tempo de muito maior abundância, provavelmente não haveria ninguém capaz de gastar uns cobres para arranjar uma pedra tumular. Aliás, a própria estória nos dá conta de como os tempos se foram modificando, pois algum pároco já mais moldado por valores da modernidade de então resolveu usar a pedra na soleira da igreja.
Os actos falam por si.

Comentar artigo

.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Artigos recentes

. Festas do Concelho em ban...

. Até um dia, Zé da Marnota...

. Recortes de antanho - XII...

. Cantinhos da Vila de Pare...

. Cantinhos da Vila de Pare...

. Cantinhos da Vila de Pare...

. Recordar - Incêndio do al...

. Cantinhos da Vila de Pare...

. Cantinhos da Vila de Pare...

. Peregrinação a São Bento ...

.Arquivos

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Março 2020

. Junho 2019

. Maio 2019

. Novembro 2017

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Ligações

.últ. comentários

Boa tarde. Alguém sabe quem fez a sinalética em ma...
Bom dia.A minha mãe tem 85 anos e recorda-se que n...
Boa noite podiam me dar algum contacto da confrari...
QUEM EXISTE E AINDA VIVE EM PAREDES DE COURA SÃO O...
SIM. QUEM ESTA A RESPONDER É UMA PRIMA QUE TAMBEM ...
Procurei este nome na internet por mera curiosidad...
Tenho muito péna ver certas alminhas acabar assim
Orgulho de um familiar . Pelo visto a familia e g...
Gosteis desta coberturas de piscinas (http://www.c...
Boa obra do Municipio.

.mais comentados

.Agosto 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.subscrever feeds

blogs SAPO