Quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

Bento Macedo - Tocador de concertina

 

 

 

Amigo leitor, vem daí comigo para uma viagem diferente, ao longo de décadas, com várias etapas, um só percurso! Vem daí conhecer melhor a vida de Bento Macedo, mestre de concertina, e também da terra que o viu nascer. Vem daí à freguesia de Vascões, ao lugar histórico da Giesteira!

 

«(…) Mas é certo, que por mais que os olhos queiram procurar outros assuntos, eles não deparam senão com essa luxuriosa natureza, fecundada e boa, que instintivamente nos recorda todas as felizes abundâncias da propriedade, as eiras cobertas pelo milho, os rebanhos nédios, os frutos saborosos, o leite puríssimo, os linhos corando sobre a relva húmida dos prados. É isto o que é e sempre foi Coura. (…)» in Vieira, José Augusto; “O Minho Pitoresco”

 

 

Bento Fernandes Macedo, nasceu a 26 de Abril de 1950, no lugar da Giesteira, freguesia de Vascões, concelho de Paredes de Coura, distrito de Viana do Castelo. Pelo que conta nas suas histórias, não foi muito longe da introdução que inicia este texto, que conheceu todo o concelho de Paredes de Coura. Hoje já não é bem assim, fruto do tempo e do progresso. Mas para sua felicidade, o lugar onde nasceu ainda está muito bem conservado, cabe-te a ti, leitor, fazer uma visita á Giesteira, e de lá admirar o mais lindo carvalhal da Europa, deixa-te envolver pela natureza, aproveita todos os segundos neste “ Éden “ perdido. Talvez fruto desse ambiente, nasceu e viveu neste lugar, uma personagem histórica conhecida ainda hoje como o Padre Giesteira, ou sábio da Giesteira (Séc.XVII). Devido ás suas múltiplas virtudes, e ao seu dom de notável orador sagrado, conseguiu protectorado para a sua casa e para o seu lugar. Quase até aos dias de hoje, a Giesteira gozou desses privilégios, como costuma contar Mestre Bento, ninguém entrava ou passava por lá, sem antes pedir licença, ficando também este lugar a ser refúgio de foragidos, de pobres, de desprotegidos. Vai à Giesteira leitor, descobre a casa do Sábio, vai ver a Capela da Sr.ª da Conceição, vai ver as casas, os alpendres, os palheiros, onde na infância Mestre Bento convivia com os pobres que por lá se alojavam, e com eles comia da marmita de alumínio, a pobre refeição de bocados de pão esmigalhado com água. Outros tempos…! Desde a infância, Bento Macedo, ficava entusiasmado com os sons das concertinas, pedindo aos tocadores da época que o deixassem experimentar. O resultado foi o rápido assimilar das notas soltas, próprias desse instrumento musical.

  

 

A primeira concertina

Aos nove anos de idade foi-lhe oferecida uma velha concertina, por um amigo de seu pai, vindo de Lisboa, que passava férias na Giesteira. Imagina leitor, a cara de felicidade daquele menino! Num passado já longínquo, realizavam-se em Vascões, grandiosas festas em honra de Stº António. Bento recorda com saudade desses tempos, onde não faltavam os bailaricos, e onde se reunia uma grande multidão de forasteiros, ainda hoje se canta uma música própria dessa romaria. Era também no adro da Capela dedicada àquele Santo que se dava anualmente a uma prática tradicionalista: reza a história, que no dia da Espiguinha, armava-se um baloiço, num carvalho do adro. Quem lá se balouçasse ficava protegido durante todo o ano de maleitas da cabeça. Em 1958, dá-se nas terras de Coura, o ressuscitar das festas concelhias, e logo se efectua um concurso de ranchos folclóricos. Várias foram as freguesias que se apresentaram a concurso, entre as quais Vascões, e a vizinha freguesia de Bico, cada qual com o seu bairrismo típico! Devido à semelhança das suas músicas, danças e trajes, resolveu-se em 19 de Março de 1959, unir-se esforços, sendo assim, houve a união das duas freguesias num só agrupamento, que tomou o nome de “ Grupo Folclórico Camponês de Bico “, o qual ao longo dos anos levou bem longe o nome de Paredes de Coura. Este agrupamento era considerado por todos como um dos melhores a nível nacional, e chegou a conquistar diversos primeiros lugares em concursos folclóricos, dentro e fora do concelho. Deves estar a interrogar-te acerca da designação de “ camponês “, mas é de fácil explicação: foi-lhe dado esse nome porque, a maioria dos seus elementos trabalhava na actividade agrícola, principal actividade do concelho de Coura naquela altura, chegando mesmo a ser conhecida como “ Celeiro do Minho “. Aos onze anos de idade, o menino Bento começou a tocar ao lado dos tocadores do Grupo Folclórico Camponês de Bico, e, no intervalo dos espectáculos, tocava sozinho umas modinhas para deleite do público. Eram tempos em que se ouviam músicas tais como: o Vira de Roda, os passos Manuel da Horta, Laurentina, a Chula do Salto (Bento ainda se lembra dos mais antigos a ensinar a dança desta música, durante um dos muitos ensaios do agrupamento), a Serrinha (com a sua letra dedicada ao Monte de Corno de Bico: Ó serra, serrinha/ Do alto da serra/ Tu és a mais linda/ Cá da nossa terra), entre muitas. Duas delas leitor, porque acho importante, e porque estão incluídas no seu trabalho discográfico, vou explica-las pormenorizadamente. Lembras-te quando falei da união das freguesias? Pois bem, nessa altura (1959) foi criada uma música para apresentação em palco, que era a Marcha do Alto-Coura, música essa que anda um pouco esquecida! A segunda música de que te falo é a Chula do Maia, bastante conhecida a nível concelhio, mas pouco fora dele. Esta música é caracterizada pelo forte timbre de voz feminino e pelo prolongamento quase exaustivo da voz durante a entoação das quadras, ora isto deve-se, caro leitor, à necessidade das pessoas antigamente se comunicarem de campo para campo, de monte para monte, o que levou a esta, tão particular, Chula do Maia. Durante as gravações do seu trabalho discográfico, contavam-me as Sras. cantadeiras, “Maria e São do Costa”, respectivamente mãe (86 anos) e filha, que aquando das gravações do antigo Grupo Camponês, nunca a Chula do Maia foi gravada por dificuldade dos técnicos em registar adequadamente esta música tão característica do Alto-Coura.

 

Mestre Bento ensina

Mas voltemos à vida de Bento. A adolescência e mocidade, foi fértil em bailes de aldeia, ao som das concertinas, pelo que adquiriu um óptimo reportório de música tradicional. Durante esses bailaricos, fez dançar muitos da sua geração, e não só, também conseguiu captar números musicais bastante interessantes, que ainda hoje presenteia a quem o ouve. Fala muitas vezes da coreografia da música “Baião da Ana “. Era ainda um jovem adulto quando, como muitos portugueses, foi cumprir o serviço militar obrigatório em África. Este é um episódio, que não o vemos muitas vezes recordar. Depois da vinda do Ultramar, continuou a servir o Folclore, e em Agosto de 1975, quando surge o Rancho Folclórico de Cristelo, actualmente extinto, Bento Macedo começou a fazer parte da sua tocata. Mas, o seu bairrismo falava mais alto. Quando em 1982 se fundou a Associação Cultural Recreativa de Vascões, de onde nasceu o Grupo Folclórico do Alto-Coura, Bento Macedo assumiu a função de tocador, que se prolongaria por 21 anos. Deste agrupamento tem muitas recordações, como sendo as muitas actuações, os bons momentos de convívio e algumas gravações conjuntas com outros tocadores. Em 2000, amigo leitor, deu-se um importante episódio, tanto na vida de Bento, como, e arrisco-me a dizê-lo, na História do concelho, com a disponibilidade do Mestre de transmitir os conhecimentos de concertina. Hoje em dia, mestre Bento percorre várias localidades do concelho, e não só, para dar aulas de concertina em diversas associações culturais, tendo já um número significativo de aprendizes de todas as idades, com um grau de aprendizagem elevado. A Mestre Bento se deve o ressuscitar de velhos toques de concertina em Paredes de Coura. Há muito que era desejo de Mestre Bento, gravar um trabalho discográfico. Com a ajuda de alguns alunos, de Mário Correia do Centro de Música Tradicional de Sendim e da editora Sons da Terra, a 8 de Março de 2003, ficaram registados 13 temas. A 14 de Fevereiro de 2005, num ambiente de grande festa, Bento Macedo viu o sonho tornado realidade, com o lançamento público do seu CD, actualmente esgotado. Termino. Quanto a ti leitor, não fiques por aqui: vai conhecer a Giesteira, vai descobrir a maravilhosa paisagem da Área de Paisagem Protegida do Corno de Bico. Aproveita e passa pelo lugar de Aldeia, onde habita Mestre Bento, vai conhecê-lo, ouve as suas histórias, ouve as suas músicas…

Eduardo Cerqueira [texto] - Artigo publicado na revista Tempo Livre n.º 172

Publicado por Eduardo Daniel Cerqueira às 08:15
Ligação do artigo | Comente | Adicionar aos favoritos
partilhar

.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Artigos recentes

. Bento Macedo - Tocador de...

.Arquivos

. Junho 2019

. Maio 2019

. Novembro 2017

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Ligações

.últ. comentários

QUEM EXISTE E AINDA VIVE EM PAREDES DE COURA SÃO O...
SIM. QUEM ESTA A RESPONDER É UMA PRIMA QUE TAMBEM ...
Procurei este nome na internet por mera curiosidad...
Tenho muito péna ver certas alminhas acabar assim
Orgulho de um familiar . Pelo visto a familia e g...
Gosteis desta coberturas de piscinas (http://www.c...
Boa obra do Municipio.
Desculpe troquei o nome, o correto é Miguel do pat...
Olá José, somente agora vi os comentarios no blog ...
Ola Teresa, somente agora visualizei sua mensagem,...

.Junho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.subscrever feeds

blogs SAPO