Domingo, 8 de Novembro de 2009

I Jornadas Micológicas do Corno de Bico

 

27 a 29 de Novembro | Sexta-feira a Domingo | CEIA
I JORNADAS MICOLÓGICAS DO CORNO DE BICO
”Os Cogumelos na saúde e no Ambiente”
  • Palestras
  • Percurso pedestre
  • Atelier de culinária
  • Concurso de fotografia digital

Local: CEIA – Centro de Educação e Interpretação Ambiental (Chã de Lamas, Vascões)
Preço:
Programa completo: 75 cantarelos (incluí refeições, alojamento, caminhada, seguro, enquadramento técnico, certificado e recordação)
Jornadas sem dormida: 45 cantarelos
Inscrições até 16 de Novembro: Câmara Municipal (251780100) e CEIA (251780010).
Para mais informações:
251780010 / 927401500 / 914922245
ceia@cm-paredes-coura.pt
Publicado por Eduardo Daniel Cerqueira às 21:57
Ligação do artigo | Comente | Ver comentários (5) | Adicionar aos favoritos
partilhar
Terça-feira, 21 de Julho de 2009

A exploração da natureza do Corno de Bico - Campo de Férias no CEIA - 16 a 22 de Agosto

CEIA - Centro de Educação e Interpretação Ambiental
16 a 22 de Agosto
A EXPLORAÇÃO DA NATUREZA DO CORNO DE BICO
Campo de férias em regime residencial
As férias escolares de Verão decorrem na Paisagem Protegida do Corno de Bico. O campo de férias privilegia as actividades de descoberta da natureza, o contacto com a fauna e flora do Corno de Bico e diversas actividades de ar livre. Há também actividades nocturnas e a visita a um outro parque de descoberta da natureza e aventura.
Programa e inscrições disponíveis a partir de 16 de Julho (CEIA e Câmara Municipal).
 
Entrada - dia 16 de Agosto às 18:30
Dos 6 aos 16 anos
Preço: 50€ (alojamento, refeições e actividades acompanhadas por monitores)
 
Para mais informações contactar CEIA ou Câmara Municipal
 
CEIA - Centro de Educação e Interpretação Ambiental
Lugar de Lamas - Vascões
Horário: De 3.ª a Domingo das 10:00 às 13:00 e das 14:00 às 18:00
Informações: 251 780 010
ceia@cm-paredes-coura.pt
 
Câmara Municipal de Paredes de Coura
Largo Visconde de Mozelos
Tel. 251 780 100
Publicado por Eduardo Daniel Cerqueira às 11:47
Ligação do artigo | Comente | Adicionar aos favoritos
partilhar
Quarta-feira, 27 de Maio de 2009

Reportagem de Ana Peixoto Fernandes (JN) sobre o gado à solta em algumas freguesias courenses

 

"Gado bravo só não vem dormir na nossa cama"
Cavalos e vacas abandonados pelos montes destroem plantações
 
Três autarcas de Paredes de Coura emitiram um pedido de socorro ao Governo para tentar solucionar o velho problema da destruição de culturas agrícolas por gado equino e bovino que anda à solta nos montes.
Em Bico, Vascões e, mais recentemente, Mozelos, a população vive em sobressalto porque não há horta ou pasto que resista às investidas dos animais semi-selvagens. "Temos sido martirizados. O gado bravo só não vem dormir connosco à cama", queixa-se António Raínho, 69 anos, morador no lugar de Lamas, freguesia de Vascões, uma zona onde existiu uma colónia agrícola e hoje não há ninguém que não tenha já sofrido prejuízos com a descida das 'burras' (nome que a população dá aos cavalos) e das vacas dos baldios para as povoações à procura de pasto.
"Porta por porta não há ninguém que não se queixe. Isto é uma bicharada que devora tudo", corrobora a mulher de António, Delfina Raínho, de 66 anos, lamentando: "Não nos têm deixado nada para o nosso rebanho. Temos tudo vedado a rede mas não adianta. Um dia destes eu e mais o meu marido fomos no tractor e quando chegámos ao nosso terreno, à beira da estrada, lá estavam dentro três bois enormes".
À porta dos Raínho vai-se juntando vizinhança, enquanto os donos da casa desfiam histórias sem parar. "Sou bombeiro e um dia destes vinha à noite para casa e contei 19 vacas na estrada. Não me atrevi a passar porque elas são bravas atiram os cornos ao carro e estragam tudo", conta o marido de Delfina, logo seguido por mais um testemunho da mulher: "Um vizinho nosso que foi ao monte procurar um bocadinho de mato para trazer para os estábulos, quando saiu do tractor, foi atacado por uma vaca e foi parar ao hospital. Nunca mais se soube mais nada, porque depois os donos do gado não se acusam, e pronto, mal do homenzinho que ficou empenado". "Aqui tem sido uma miséria. Carros inutilizados, pessoas aleijadas, tudo por causa desse gado maligno…", lastima.
Que o diga Maria de Sousa, que ao 75 anos exibe numa perna as marcas de um episódio vivido com animais bravios. "Uma vez foram-me às couves e eu fiquei aleijada porque fui atrás das 'burras' para as tirar do campo e caí", lembra a idosa, deixando transparecer nas palavras a sua revolta: "Até tinha coragem de lhe dar um tiro".
Histórias como estas ouvem-se por toda a região, principalmente, nas freguesias de Vascões e Bico, e, por causa disso, há mesmo quem defenda que a destruição de cultivos explica o aparecimento de animais mortos a tiro ou envenenados no concelho. Recorde-se que no ano passado foi encontrada na área da Paisagem Protegida de Corno de Bico uma dezena de garranos chacinada a tiro de zagalote e, mais recentemente, foram encontradas outras três cabeças de gado equino abatidas a tiro na freguesia de Mozelos. Até agora, as autoridade não acharam explicação para o sucedido, apesar de, pelo menos, no primeiro caso, as investigações se encontrarem sob a alçada da Polícia Judiciária.

in: http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Viana%20do%20Castelo&Concelho=Paredes%20de%20Coura&Option=Interior&content_id=1243850

Publicado por Eduardo Daniel Cerqueira às 21:52
Ligação do artigo | Comente | Ver comentários (3) | Adicionar aos favoritos
partilhar
Quinta-feira, 24 de Julho de 2008

Fotorreportagem - Caminhada da Paróquia de Santa Maria de Paredes ao C.E.I.A

Tal como estava agendado, realizou-se no passado dia 20 de Julho, uma caminhada de encerramento do ano catequético, desde a Vila de Paredes de Coura até Vascões, mais concretamente ao CEIA (Centro de Estudo e Interpretação Ambiental - Paisagem Protegida do Corno de Bico.

Depois de uma passagem pela freguesia de Paredes de Coura, e em grande parte pelo lugar de Lamamá, o primeiro descanso teve lugar na praia fluvial de Casaldate, na freguesia de Parada.

Seguindo paralelamente ao Rio Coura, os caminhantes chegaram à Capela de São Gonçalo, iniciando de imediato a subida íngreme até à entrada do caminho do “Porto Velho”.

 

Várias imagens, ao longo do percurso, foram nos marcando, eis algumas:

Vacas "Piscas" (Barrosã) no lugar de Casaldate - Parada

Moínho no Caminho do "Porto Velho"

No mesmo caminho atrás referido, encontra-se a "Laje de escorregar". Mário Pedro Sousa, técnico de ambiente, e nosso guia na caminhada, exemplificou a melhor maneira de deslizar...

Foi, também através de Mário Pedro, que os caminhantes ficaram a conhecer a erva aromática: Termentelo.

 

Depois da zona de "Porto Velho", a viagem chega ao fim no lugar de Lamas, em Vascões, onde ainda houve tempo de apreciar uma pequena poça, parte das mamoas ali existentes e a antiga colónia agrícola (onde se situa o CEIA, num edifício construído de raiz e no aproveitamento da antiga Escola Primária e Casa do Professor). 

*

Após duas horas, o grupo de caminhantes chegou finalmente ao CEIA, seguindo-se depois um almoço, e uma tarde de convívio onde não faltaram os jogos tradicionais.

*

*

*

Jogo da Malha

Jogo do Chavelho

Publicado por Eduardo Daniel Cerqueira às 16:52
Ligação do artigo | Comente | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos
partilhar

.Mais sobre mim

.Pesquisar neste blog

 

.Artigos recentes

. I Jornadas Micológicas do...

. A exploração da natureza ...

. Reportagem de Ana Peixoto...

. Fotorreportagem - Caminha...

.Arquivos

. Junho 2019

. Maio 2019

. Novembro 2017

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Ligações

.últ. comentários

QUEM EXISTE E AINDA VIVE EM PAREDES DE COURA SÃO O...
SIM. QUEM ESTA A RESPONDER É UMA PRIMA QUE TAMBEM ...
Procurei este nome na internet por mera curiosidad...
Tenho muito péna ver certas alminhas acabar assim
Orgulho de um familiar . Pelo visto a familia e g...
Gosteis desta coberturas de piscinas (http://www.c...
Boa obra do Municipio.
Desculpe troquei o nome, o correto é Miguel do pat...
Olá José, somente agora vi os comentarios no blog ...
Ola Teresa, somente agora visualizei sua mensagem,...

.mais comentados

.Junho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30

.subscrever feeds

blogs SAPO